A Técnica Pianística como Arte - Gravado - Virtuosi Produções Artísticas - LTDA
Cursos Online

A Técnica Pianística como Arte - Gravado

A Técnica Pianística como Arte - Gravado - Foto 1

A Técnica Pianística como Arte

Formado nos Conservatórios de Moscow, São Petersburgo e Kiev, o argentino Miguel Angel Scebba é o que podemos chamar de músico completo: pianista virtuoso de interpretações arrebatadoras, Scebba é também um notável pedagogo da música, além de prolífico compositor. Radicado na Bahia, Scebba foi Professor Titular da Universidade de San Juan (Argentina) e hoje é um dos principais pianistas em atividade do Brasil.

Neste curso, será abordado um tema importante a todo pianista: o desenvolvimento técnico de forma artística. Curso essencial para pianistas de todas as idades e níveis: de crianças a adultos, iniciantes, estudantes universitários, profissionais, correpetidores e solistas.

CONTEÚDO

1o dia:

1. A percepção musical como base de uma boa técnica. Desenvolvimento do ouvido melódico, harmônico e rítmico.
2. Bases técnicas da formação pianística por meio de peças cuidadosamente elaboradas para tal fim: exercícios, escalas, arpejos.... Altura do banco, postura, soltura do braço. Movimentos básicos de dedos, pulso, antebraço. Técnica de posições.
3. Importância de começar cedo (ideal 7-9 anos), adquirir cedo o hábito do estudo e da disciplina.
4. Conexão emocional com a música: O fraseado e a dinâmica expressam o conteúdo, daí a necessidade de apender certos movimentos técnicos da mão para frasear, conduzir a linha melódica, crescer, culminar, respirar, etc., para tudo existem movimentos específicos de dedos mão e braço. Tudo é técnica.

2o dia:

1. O pianismo como uma arte em sí: recursos técnicos da sonoridade. Especificidade do som do piano, seu mecanismo, teclas martelos e pedal.
2. Problemas técnicos avançados. Técnica de posições em nível avançado. Velocidade em passagens, notas duplas, oitavas, acordes. Braço flutuante, vôo pianístico, saltos. Fraseado técnico.
3. Evolução da técnica desde o Classicismo até Chopin. O som no Classicismo, em Chopin e compositores posteriores. Técnicas de fraseado nos diferentes estilos.

INFORMAÇÕES GERAIS

  • Apresentação: Miguel Angel Scebba // Intermediação: Prof. Me. Ederson Urias
  • Data de realização: 2 e 3/04/2022 (Sábado e Domingo)
  • Horário: 16:00 às 18:00 (Horário de Brasília) --> Carga-horária total de 4 horas.
  • Plataforma: Zoom
  • Acesso: O link da aula será enviado até 1 hora antes do início da aula, através do e-mail e do grupo de alunos de Whatsapp. Favor conferir se o e-mail está na caixa de SPAM.
  • Disponibilidade: As aulas serão ao vivo, mas serão gravadas e ficarão disponíveis para os alunos até 90 dias.
  • Inscrições: Até 02/04/2022 às 12 horas (Horário de Brasília).
  • Público-alvo: Professores e estudantes de piano.
  • Valor: R$ 180,00 (Cento e Oitenta Reais)

INSCRIÇÃO E PAGAMENTO:

  • Para pagamentos via pix, boleto ou em até 12 vezes no cartão de crédito, favor acessar o botão do Pagseguro:

MIGUEL ANGEL SCEBBA

Com uma sólida formação musical e uma carreira de sucesso, o argentino Miguel Angel Scebba é o que podemos chamar de músico completo: pianista virtuoso de interpretações arrebatadoras, Scebba é também um notável pedagogo da música, além de prolífico compositor.

Nascido em Buenos Aires, no seio de uma família italiana de grande cultura, Scebba aprendeu a tocar violino aos quatro anos com seu pai e piano aos cinco com o pianista esloveno Anton Soler Biljenski. Aos nove anos, começou a estudar contraponto e composição com o grande operista Alfredo Schiuma. Com 20 anos, mudou-se para a URSS, continuando seus estudos no Conservatório de Kiev com Valery Sagaidachny e em São Petersburgo com o pianista e professor Vladimir Nilsen. Finalmente, passa mais dois anos estudando no Conservatório Tchaikowsky de Moscou, sob a orientação do professor Vladimir Natanson.

Scebba terminou seus estudos em Moscou com tanto destaque, que imediatamente passou a fazer parte do elenco da companhia estatal de concertos da URSS (Gosconcert) com a qual fez numerosas turnês pela ex-União Soviética na década de 1980. Nos anos seguintes, ampliou sua atuação para a Europa ocidental, América Latina e Estados Unidos.

Já se apresentou com importantes orquestras, como a do Conservatório de Kiev (Ucrânia), a Filarmônica de Buenos Aires e as Sinfônicas da Criméia (Rússia), da Bahia e Paraná (Brasil), Mar del Plata, San Juan e Mendoza (Argentina), Concepción , La Serena e Temuco (Chile) e Havana (Cuba). Com a Filarmônica de Tübingen (Alemanha), fez uma extensa turnê por várias cidades na Alemanha e na Suíça. Entre os diretores com quem tem colaborado como solista estão Pedro Ignacio Calderón, Enrique Ricci, Joachim Harder, Alexander Dolinsky, Nicolás Pasquet, Alexey Izmirliev, Nicolás Rauss, Javier Logioia, Jorge López Marín, David Handel, Lior Shambadal, Jorge Fontenla, Benoit Renard, Alberto Merenzon, Lutero Rodrigues, Carlos Prazeres, Igor Manasherov, Arman Tigranian, Yana Anenkova, entre outros.

Scebba também é um compositor prolífico: oito sinfonias, além de numerosas obras de câmara, órgão e vocais, muitas delas executadas e gravadas na França, Rússia, Brasil e Uruguai. Sua formação como compositor começou também na infância e concluiu com a orientação de Aram Khatchaturian em Moscou.

De 1990 a 2017, foi professor titular de piano da Universidade Nacional de San Juan – Argentina e Professor do Mestrado em Piano da Universidade Nacional da Colômbia (Bogotá). Foi colaborador da UFBA e também professor visitante ou artista residente em cerca de 20 instituições de ensino de América, Europa e Rússia. É frequentemente convidado como membro de júri em prestigiados concursos internacionais. Atualmente dá aulas particulares e é convidado a ministrar cursos sobre diversos assuntos pianísticos, especialmente sobre a escola russa de piano, tanto na iniciação como na técnica e interpretação avançada. Seus alunos obtêm frequentemente prêmios em concursos internacionais.